Réu pelo 8 de janeiro, coronel da PMDF pede autorização ao STF para dar curso de gestão eficiente para empresas de vigilância

  • 10/07/2024
(Foto: Reprodução)
Jorge Eduardo Naime Barreto era chefe do Departamento de Operações da PMDF quando ocorreu ataque aos três poderes. Ele foi solto em maio passado, com uso de tornozeleira eletrônica e proibição de publicações nas redes sociais. Coronel da PM Jorge Eduardo Naime depõe à CPI dos Atos Golpista nesta segunda-feira (26). Waldemir Barreto/Agência Senado Réu pelo 8 de janeiro, o coronel da Polícia Militar do Distrito Federal Jorge Eduardo Naime Barreto questionou o Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quarta-feira (10), se poderá dar um curso de gestão eficiente para empresas de vigilância. Naime era chefe do Departamento de Operações da PMDF quando ocorreu o ataque aos três poderes, em Brasília. ✅ Clique aqui para seguir o canal do g1 DF no WhatsApp. O coronel, que estava preso desde 7 de fevereiro de 2023, obteve liberdade provisória no dia 13 de maio passado. Naime é réu em uma ação penal que apura acusações de omissão de autoridades pelos atos golpistas, quando as sedes do Legislativo, Executivo e Judiciário foram invadidas e depredadas. Ao g1, o STF afirma que, até a última atualização desta reportagem, não havia uma decisão para o pedido. Naime cumpre medidas cautelares, como uso de tornozeleira eletrônica, afastamento das redes sociais e a proibição de sair do país. O coronel entrou com o pedido no STF porque, segundo seus advogados, "possui intenções de ministrar um curso sobre gestão eficiente para empresas de vigilância". A plataforma utilizada para fazer o upload das aulas ministradas é o YouTube, Naime está proibido de publicar nas redes sociais e a defesa questiona se o YouTube faz parte das restrições. De acordo com a defesa de Naime, "o curso tem como objetivo auxiliar gestores de empresas de vigilância a entender e operar eficientemente dentro do sistema de gestão da Polícia Federal, garantindo conformidade e evitando multas e cassações de licença". Os advogados dizem ainda que o "curso será estruturado para fornecer uma compreensão abrangente do sistema da Polícia Federal, incluindo a gestão de documentação, controle de licenças, prevenção de multas e implementação de boas práticas de gestão". "O sr. Jorge não possui qualquer intenção de tratar de temas alheios ao objeto do curso em questão, sua didática será estritamente profissional e limitada a explanação do conteúdo pertinente a matéria ministrada", diz a defesa do coronel. Naime foi solto com as seguintes prerrogativas: Proibição de se ausentar do Distrito Federal; Recolhimento domiciliar no período noturno e nos fins de semana; Obrigação de se apresentar em juízo no prazo de 48 horas e comparecimento semanal, todas as segundas-feiras; Proibição de uso de redes sociais e de se comunicar com os demais envolvidos, por qualquer meio; Suspensão de documentos de porte de arma de fogo e quaisquer certificados de registro de armas. LEIA TAMBÉM CÚPULA DA PMDF: PGR e PF cumprem mandados de prisão contra 7 militares pelo 8 de janeiro DF E 6 ESTADOS: PF e Receita Federal miram grupo suspeito de importar 500 mil celulares ilegalmente 📺VÍDEO: Coronel Naime admite que PMDF falhou em 8 de janeiro Em depoimento, Coronel Naime admite que PM falhou no 8 de janeiro Leia outras notícias da região no g1 DF.

FONTE: https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2024/07/10/reu-pelo-8-de-janeiro-coronel-da-pmdf-pede-autorizacao-ao-stf-para-dar-curso-de-gestao-eficiente-para-empresas-de-vigilancia.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Chama no Zap 61 9 8647-0517 e Peça sua Música

Anunciantes